“diálogo” com racistas no Viomundo

racismo é achar que existem raças humanas, ou sub-raças, como sugerem alguns.
Fernando R.'s avatarFernando R.· 4 dias atrás

As raças humanas existem sim, embora antropólogos e sociólogos rejeitem esta ideia e alardeiem intensamente suas posições. Na Biologia entende-se majoritariamente que existem muitas raças em nossa espécie.
Negar as raças acaba por servir ao racismo.
Estranho, meu professor de Evoluçao Humana sempre disso o contrário… vê bem onde vc anda aprendendo Biologia.
Fernando R.'s avatarFernando R.· 4 dias atrás

Sou biólogo e professor de Evolução em Cursos de Biologia. Os biólogos evitam esse debate, pois temem a exposição negativa. Te asseguro que a ampla maioria dos biólogos bem formados, estudiosos da Evolução, vêem as coisas dessa forma. Não haveria de ser de outra forma, pois entende-se uma subespécie (ou raça, para as espécies domesticadas) como uma população que compartilha algum grau de isolamento, o que lhe conferiu características fenotípicas e adaptações próprias.
0

Marcelo's avatarMarcelo· 4 dias atrás

O mais famoso e conhecido geneticista do mundo atual, Jonh Craig Venter, diz que – “A raça é um conceito social, não científico, todos evoluímos nos últimos 100 mil anos a partir do mesmo grupo reduzido de tribos que emigraram da África e colonizaram o mundo”.
Luca K's avatarLuca K· 3 dias atrás

E assim Venter garante o pão nosso de cada dia, garante o dim dim q financia suas pesquisas. Vai ele dizer o contrário e a carreira dele sofreria abalo forte muito rapidamente. É o mesmo com o famoso geneticista Luigi Cavalli-Sforza. Diz q raça não existe na introdução do livro para agradar a patrulha e continuar recebendo dim dim, mas o conteúdo do livro desmente a declaração. Fica claro a validade do conceito biológico de raças humanas.
Abel's avatarAbel· 3 dias atrás

Pois é. Foi assim que os nazistas começaram. Belo discurso 😉
é ignorância, má fé ou estupidez. Luigi Cavalli-Sforza na sua obra “Genes, povos e línguas” “atrela-se a uma influente tradição humanista da biologia e da genética da segunda metade do século XX, tradição esta que viu no esvaziamento científico do conceito de raça um elemento importante na estratégia de contraposição aos pressupostos racistas, incluindo a idéia de superioridade racial.” http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-59702004000300018
Luca K's avatarLuca K· 3 dias atrás

Está claro q vc nunca leu Cavalli-Sforza. O q vc pescou do site é exatamente o q eu disse antes. Aprenda a andar antes de tentar correr.
dançou, playboy
Tá explicado.
Luca K's avatarLuca K· 3 dias atrás

Obrigado pela coragem Fernando. De fato muitos biólogos, antropólogos e geneticistas hj em dia evitam os fatos no tocante à realidade das raças humanas. Pelo menos publicamente. O politicamente correto é dizer q só há uma raça humana e que as diferenças são apenas “skin deep”. Os fatos são outros no entanto. Os 3 grupos raciais mais bem estudados e documentados, brancos europeus, negros subsaarianos(particularmente em estado mais ‘puro’, africa centro-ocidental) e asiáticos do extremo oriente(chineses, japoneses, coreanos) apresentam várias diferenças marcantes. Falar a respeito é um problema no entanto. Obviamente q se houvesse apenas uma raça humana não teríamos doenças q atingem determinadas raças – e até etnias – mais q outras(com a produçao de vacinas específicas!) ou esportes claramente dominados por certas raças, como o domínio absoluto dos negros em provas de atletismo de curta distância. Brancos, asiáticos e outros só conseguem resultados em provas curtas técnicas, com barreiras por exemplo. Infelizmente raça é um de muitos tabus q não devem ser tocados atualmente nas “democracias” ocidentais.
Miguel's avatarMiguel· 3 dias atrás

me aponte em que lugar voce encontra algum desses grupos realmente isolados, sem miscigenacao com outros grupos, e penso em aceitar esse besteirol ideologico que voce esta tratando como ciencia.
abolicionista's avatarabolicionista· 1 dia atrás

Nossa, fazia tempo que eu não encontrava um nazista puro-sangue como você, mude seu nome para Luca KKK
Luca K's avatarLuca K· 3 dias atrás

Talvez Lu, vc devesse tomar cuidado onde anda aprendendo Biologia… e uma dica; não acredite em tudo q teus professores te dizem. Professores dizem muitas bobagens e o aluno sagaz é o q mantém a mente aberta e questionadora. A realidade biológica das raças humanas é bem documentada mas é cada vez mais suprimida no mundo academico em nome da ideologia do politicamente correto.
quais as fontes de pesquisa científica que vc consulta pra afirma esta imbecilidade?
Luca K's avatarLuca K· 3 dias atrás

Há muitas. Por exemplo: Neil Risch, Esteban Burchard, Elad Ziv, and Hua Tang Genome Biology, 2002. “[…]it is not surprising that numerous human population genetic studies have come to the identical conclusion – that genetic differentiation is greatest when defined on a continental basis.[…]Effectively, these population genetic studies have recapitulated the classical definition of races based on continental ancestry – namely African, Caucasian (Europe and Middle East), Asian, Pacific Islander (for example, Australian, New Guinean and Melanesian), and Native American.[…]The existence of such intermediate groups should not, however, overshadow the fact that the greatest genetic structure that exists in the human population occurs at the racial level.[…]numerous studies over past decades have documented biological differences among the races. In this context, it is difficult to imagine that such differences are not meaningful. Indeed, it is difficult to conceive of a definition of ‘biological’ that does not lead to racial differentiation.” Outro exemplo: Bruce Lahn and Lanny Ebenstein, Nature, 8 October 2009 “[…]The current moral position is a sort of ‘biological egalitarianism’. This dominant position emerged in recent decades largely to correct grave historical injustices.[…]Biological egalitarianism is the view that no or almost no meaningful genetically based biological differences exist among human groups.[…]We believe that this position, although well intentioned, is illogical and even dangerous.[…]We also think that biological egalitarianism may not remain viable in light of the growing body of empirical data.”
Nos 3 principais grupos raciais estudados as diferenças são inúmeras e abragem comportamento sexual, personalidade, maturação, tamanho do cérebro, QI, expectativa de vida, estabilidade familiar e vários outros.
A única imbecilidade portanto, é a sua própria! 😉
Esses autores que vc cita, Neil Risch, Esteban Burchard, Elad Ziv e Hua Tang, relatam no artigo que vc esconde: http://translate.google.com.br/translate?hl=pt-BR&sl=en&u=http://genomebiology.com/2002/3/7/comment/2007&ei=57BeT4r6EdSUtwe3rLWZBw&sa=X&oi=translate&ct=result&resnum=1&ved=0CDgQ7gEwAA&prev=/search%3Fq%3DHua%2BTang%2BGenome%2BBiology,%2B2002%26hl%3Dpt-BR%26prmd%3Dimvns
Nesse artigo relatam que em “um recente editorial no New England Journal of Medicine [ 1 ] afirmam que “raça é biologicamente insignificante” e advertiu que “a instrução em genética médica deve enfatizar a falácia da raça como um conceito científico e os perigos inerentes à prática da medicina baseada na raça.” Em apoio a essa perspectiva, um artigo recente na revista Nature Genetics [ 2 ] pretendia descobrir que “comumente utilizados rótulos étnicos são ambos representações insuficientes e imprecisos de inferidos grupos genéticos.” Além disso, um editorial apoiando na mesma edição [ 3 ] concluiu que “aglomerados populacionais identificadas pela análise do genótipo parecem ser mais informativo do que aqueles identificados pela cor da pele ou auto-declaração de ‘raça’.”
O New England Journal of Medicine e Nature Genetics afirmam isto em editoriais, o resto é relativização que serve a fins racistas, não necessariamente dos autores, mas com certeza aos seus.
Luca K's avatarLuca K· 2 dias atrás

Um monte de blá-blá-blá né jênio! O pior é q tentar debater o assunto com um fanático com uma agenda como vc e ignorante sobre o assunto é como tentar discutir equação de terceiro grau com um sujeito q não sabe as 4 operações. O professor de Antropologia e antropólogo forense George.Will explica bem seu caso Dukrai; “Those who believe that the concept of race is valid do not discredit the notion of clines, however. Yet those with the clinal perspective who believe that races are not real do try to discredit the evidence of skeletal biology. Why this bias from the ‘race denial’ faction? This bias seems to stem largely from socio-political motivation and not science at all. For the time being at least, the people in ‘race denial’ are in ‘reality denial’ as well. Their motivation (a positive one) is that they have come to believe that the race concept is socially dangerous. In other words, they have convinced themselves that race promotes racism. Therefore, they have pushed the politically correct agenda that human races are not biologically real, no matter what the evidence.” (Gill, 2000). A propósito se vc tivesse lido “The History and Geography of Human Genes” de Cavalli-Sforza conheceria sua descrição do mapa genético q ele oferece no livro ;”The color map of the world shows very distinctly the differences that we know exist among the continents: Africans (yellow), Caucasoids (green), Mongoloids (purple), and Australian Aborigines (red). The map does not show well the strong Caucasoid component in northern Africa, but it does show the unity of the other Caucasoids from Europe, and in West, South, and much of Central Asia.”
😉
trollzinho, os autores que vc cita é que se referem “a falácia da raça como um conceito científico”, o resto é ctrlC/ctrlV sem link, desonesto, capcioso e repetitivo.
Luca K's avatarLuca K· 1 dia atrás

Sem argumentos e sem conhecimentos sobre o assunto, reduzido a Argumentum ad hominem! A propósito dukrai, uma vez q vc até agora não apresentou NADA de substancial, vamos a algo prático; estou curioso pra saber como vc explica o DOMÍNIO TOTAL de negros com origem específica na Africa Ocidental nas provas de curta distância. Por outro lado como vc explica a ausência de corredores de curta dist. originários da África Oriental? Como vc explica que os negros americanos – originários geralmente na A.O – somem 12% da população mas componham todo o time de sprinters dos EUA? O caso da Inglaterra é idêntico. Como vc explica a total ausência dos chineses nas provas de velocidade a despeito de sua vasta população e grande investimento em esportes(1 lugar nas ultimas olimpiadas)? Como explicar que em todos os times de futebol americano da NFL, nas posições em q se exige velocidade, os jogadores sejam quase sempre negros? Por ex; poucos anos atrás, 58 dos 60 RUNNING BACKS eram negros. As estatisticas da temporada atual não mudaram. Porém em posições q exijam força há MUITOS brancos. E então?
Tire seus óculos ideológicos, ponha os de grau e vá estudar velhinho! Ainda há tempo… kkkkkkkkkkk
hitlerzinho caboclo, vc parece uma maritaca, isto é genético ou ficou assim depois do ensino fundamental?
Luca K's avatarLuca K· 22 horas atrás

Como eu pensava…. vc não sabe N-A-D-A e NEM está aqui para um debate honesto de idéias!
Falôra infeliz!
Miguel's avatarMiguel· 22 horas atrás

KKK, ate agora voce nao mencionou onde existiriam grupos realmentee isolados que dessem algum suporte empirico a esse seu argumento estapafurdio.
Luca K's avatarLuca K· 19 horas atrás

Miguel, vc deve ser discípulo do dukrai q no momento está sentado no canto da sala usando o chapéu de burro. Isolamento total não existe mas o isolamento foi mais que suficiente. Do mesmo estudo q eu citei acima pode-se ler: “Anatomically modern humans first appeared in eastern Africa about 200,000 years ago. Some members migrated out of Africa by 50,000 years ago to populate Asia, Australia, Europe and eventually the Americas. During this period, geographic barriers separated humanity into several major groups, largely along continental lines, which GREATLY REDUCED gene flow among them. Geographic and cultural barriers also existed within major groups, although to lesser degrees.[…] Given these geographically differentiated polymorphisms, it is possible to group humans on the basis of their genetic make-up. Such grouping largely confirms historical separation of global populations by geography. Indeed, a person’s major geographic group identity can be assigned with near certainty on the basis of his or her DNA alone.” E por fim Miguel, não é um argumento meu mas de CIENTISTAS.
Anúncios

Tags: , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: